10.12.2015

A MÃO ESQUERDA DAS TREVAS, de URSULA K. LeGUIN




URSULA K. LeGUIN
A Mão Esquerda das Trevas

"– Que lugar é este? – inquiriu, olhando em volta. 
– O refúgio no interior da tempestade de neve – informou Hode. – Nós, os que nos suicidamos, permanecemos aqui. Agora, poderemos reatar os nossos votos. 
– Não quero ficar aqui – retorquiu Getheren, aterrorizado. – Se me tivesses acompanhado às terras do sul, poderíamos continuar juntos sem que os outros soubessem da transgressão. Mas preferiste quebrar os nossos votos, destruindo-os juntamente com a tua vida. E agora não consegues pronunciar o meu nome. 
E era verdade. Hode moveu os lábios repetidamente, mas não pode repetir o nome do irmão. 
De súbito, precipitou-se para ele e segurou-lhe a mão esquerda, porém Getheren desprendeu-se e correu, agora para o sul, não tardando a deparar-se-lhe uma muralha de neve que tombava com intensidade. Assim que a transpôs, voltou a cair de joelhos, perdendo as faculdades de movimento. 
No nono dia após a partida em direção ao Gelo, foi encontrado no seu Domínio por habitantes do Lar Orhoch, situado a nordeste de Shath, os quais o não reconheceram, pois Getheren apresentava o rosto ulcerado pela congelação e estava impossibilitado de pronunciar palavra. Não obstante, foi-se restabelecendo satisfatoriamente, à parte a mão esquerda, que teve de ser amputada. Apressou-se a negar que fosse Getheren, com o alguns afirmavam quando julgaram descortinar traços similares aos do rapaz que abandonara o Lar de Shath devida à perseguição dos companheiros, e asseverou que se chamava Ennoch e procedia das terras do sul. 
Certo dia em que percorria a planície de Rer, Ennoch, que entretanto, envelhecera, encontrou um homem da sua região natal e perguntou-lhe como se apresentava o panorama geral no condomínio de Shath. O outro replicou que tudo definhava gradualmente e ficou assombrado quando o interlocutor se identificou como sendo Getheren de Shath, explicando o que lhe sucedera no Gelo e quem encontrara lá. Por fim, recomendou ao outro: 
– Quando regressares, comunica que recuperei o nome e a minha sombra. 
Poucos dias mais tarde, adoeceu e expirou. O viajante transmitiu as suas palavras aos habitantes de Shath, e consta que a partir dessa data o Domínio voltou a prosperar como dantes." 

In URSULA K. LeGUIN
A Mão Esquerda das Trevas
Trad. Eduardo Saló
(Págs. 23-24)  

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue