4.08.2017

NA BIFURCAÇÃO DAS RAMAGENS




DA BIFURCAÇÃO DAS RAMAGENS

Cada árvore carrega a história
Que a memória da voz celebrou, 
Cujos brotos são nova vitória
Que a História por nós hasteou… 
Bandeiras desta vida sensória
Nós de emalhados tons e glória, 
Gerando gerações a germinar voo
Que é gerar que a si mesmo gerou. 
Que eclodiu na voz de sermos sós
Foz e rio igualmente nascido
À volta do ser pra ganhar sentido
Nessa navegação em cascas de noz
– Qual grito que se parte ao meio, 
Pra ficar sujeito, trama e enleio.

Joaquim Maria Castanho

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue