4.11.2006

Boomerang em Marvão


Das ameias te odiei
Como se fosses única debaixo do céu…
Mas com tanta força em mim te matei
Que mal notei
Que assim, no final, quem morria era eu!

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue