4.05.2017

CORAÇÃO BÁRBARO E SANDEU




CORAÇÃO BÁRBARO E SANDEU 

Meu coração inquieto
Esteve hoje tão perto do teu, 
Que me arde no fogo esperto
De consumir-se plebeu –
E cativo da suserana
Qu'emana do céu que me teceu. 

Esteve tão perto d'arder
Consumir-se nessa chama, 
Em que viver só é viver
Se inquietude de quem ama 
– Que bárbaro já não é meu
Mas sandeu que me reclama. 

Meu coração afogueado
Saltou bárbaro e sandeu, 
Apenas por ter estado
Hoje muito perto do teu; 
Que o siso me é queimado
No fogo em que ele ardeu
– Anseio, céu espelhado, 
Alma me deixou em chama, 
Inquieto o  coração plebeu
A consumir-se porque ama
Já a suserana que o teceu, 
Que sendo meu já só é teu.

Meu coração inquieto
De bravo no fogo esperto
A consumir-se me ardeu, 
É cativo porque já ama
Essa pura e viva chama
Qu'emana da suserana
Por quem é bárbaro e sandeu. 

Joaquim Maria Castanho

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue