1.17.2017

FATALIDADE




FATALIDADE 

"Aquele que me adorar está perdido"
(Inscrição da estatueta da deusa Vénus Ibérica)

Se sol brilha, é tua voz que me abraça… 

Sei que há esperança, e dela partilho. 
Sei que podemos escrever o destino, 
Inventar nosso trajeto, nosso trilho;
E que crescer é ganhar independência
(Perder os dependeres de menino). 
Mas de todos os vícios que apanhei
O de ti é o único que me não passa 
– Que és a cura por que me desgraço. 
E se à noite a mim mesmo afianço
Que hei de pôr cobro à dependência, 
Eis que novo dia nasce, e alcanço, 
A certeza pura de minha essência: 
Prefiro mil vezes viver em desgraça! 

Joaquim Maria Castanho

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue