7.16.2008

LINHA DO TUA
HOJE, NA INICIATIVA DE “OS VERDES” NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, FUGIU A BOCA PARA A VERDADE À SECRETÁRIA DE ESTADO DOS TRANSPORTES

“…não é por questões de segurança… “

“…nem por baixa procura…”

“…a única razão pela qual se pode vir a encerrar totalmente ou parcialmente a Linha do Tua é exclusivamente a barragem…”

Estas foram palavras proferidas pela Secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, na Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações da Assembleia da República à qual se deslocou hoje, para responder, em representação do Ministério das Obras Públicas, sobre os acidentes e sobre o futuro da Linha do Tua, numa iniciativa promovida pelo Grupo Parlamentar “Os Verdes”.

Esta iniciativa foi solicitada por “Os Verdes” no passado mês de Junho aquando do terceiro acidente ocorrido nesta linha num período de um ano e meio.

Hoje, “Os Verdes” viram confirmado, pela boca de Ana Paula Vitorino, aquilo que sempre souberam: a barragem é a verdadeira e única ameaça à Linha do Tua e todos os outros argumentos até agora utilizados (falta de segurança, baixa procura…) por membros do Governo, no qual se inclui a Secretária de Estado, o próprio Ministro das Obras Públicas e ainda o Governador Civil de Bragança, que publicamente evocaram várias vezes estas razões para justificar o possível encerramento da Linha, não são mais do que uma tentativa de atirar areia para os olhos dos mais incautos ou dos que não conhecem a Linha do Tua e a realidade transmontana.

Ficou também claro, nas respostas dadas pela Secretária de Estado ao Deputado de “Os Verdes”, Francisco Madeira Lopes, que, qualquer que seja a quota da barragem, parte da Linha ficará sempre submersa no seu troço mais valioso do ponto de vista paisagístico e de engenharia. A Linha do Tua ficará assim definitivamente desligada da Linha do Douro, isto é, da rede ferroviária nacional, não restando dúvidas que o troço não submerso deixará de ter qualquer viabilidade. Também a mobilidade da população transmontana fica assim reduzida e esta região ainda mais isolada.

Nesta reunião, o Deputado de “Os Verdes” desafiou a Secretária de Estado a apresentar argumentos concretos para sustentar o desenvolvimento que esta considera que a barragem representa para a região e para o país. Pelo seu lado, o Deputado ecologista defendeu, mais uma vez, a importância da manutenção da Linha do Tua, justificando-a com o serviço que esta presta às populações locais, com o seu valor patrimonial e cultural e com o seu potencial para um desenvolvimento sustentável desta região, se bem articulada com a Linha do Douro e com a reabilitação desta até Barca D’Alva.

A Secretária de Estado comprometeu-se hoje a entregar aos Deputados os relatórios da REFER, do Instituto Nacional de Transporte Ferroviário e do LNEC, quando confrontada pelo Deputado de “Os Verdes” com o secretismo que tem rodeado o apuramento das causas dos três acidentes ocorridos nesta Linha no último ano e meio e que em 120 anos praticamente não tem registo de acidentes graves.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
www.osverdes.pt
Lisboa, 16 de Julho de 2008
QUESTÃO NUCLEAR DEVE SER DEFINITIVAMENTE AFASTADA
O Partido Ecologista “Os Verdes” considera que são inqualificáveis as declarações proferidas ontem no Parlamento por Vítor Constâncio.
“Os Verdes” reafirmam que a energia nuclear não resolve o problema da dependência energética do país e questionam as reais intenções de quem insiste em lançar a confusão neste debate, ao afirmar o contrário. Pelo que se vê, o governador do Banco de Portugal não está preocupado nem com a segurança das populações nem com os problemas ambientais que uma decisão destas acarretaria.
Para o PEV, o que é essencial, especialmente neste momento de grave crise social, repercutida no que mais pesa na bolsa dos portugueses – o preço dos combustíveis – é tomar medidas no sentido de tornar mais eficiente a actual rede de transportes de modo a criar alternativas reais ao uso do automóvel, investir na ferrovia e apostar nas energias renováveis.
É preciso clarificar de uma vez por todas a seguinte questão: a construção de uma central nuclear em Portugal não vai fazer baixar o preço dos combustíveis. Uma central nuclear terá associados gravíssimos problemas ambientais para os quais ainda não foi encontrada solução (nem mesmo na Finlândia, como quer fazer crer Vitor Constâncio), como é o caso dos resíduos radioactivos por ela produzidos e cuja perigosidade permanece por milhares de anos. Já para não falar das questões da segurança no funcionamento de uma central que os defensores desta alternativa pretendem minimizar, e dos próprios custos de construção de uma central nuclear.
Por todas estas razões, o Partido Ecologista “Os Verdes” considera que a questão nuclear deve ser definitivamente afastada.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
http://www.osverdes.pt/
Lisboa, 16 de Julho de 2008

POR INICIATIVA DE “OS VERDES” GOVERNO RESPONDE SOBRE ACIDENTES NO TUA NA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

Por iniciativa de “Os Verdes”, a Sr.ª Secretária de Estado Ana Paula Vitorino estará amanhã, dia 16 de Julho (no período da manhã), na Assembleia da República para, em sede de Comissão, prestar esclarecimentos, em nome do Ministério das Obras Públicas, sobre os acidentes que têm ocorrido na Linha do Tua.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”

(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 - imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue