7.16.2008

QUESTÃO NUCLEAR DEVE SER DEFINITIVAMENTE AFASTADA
O Partido Ecologista “Os Verdes” considera que são inqualificáveis as declarações proferidas ontem no Parlamento por Vítor Constâncio.
“Os Verdes” reafirmam que a energia nuclear não resolve o problema da dependência energética do país e questionam as reais intenções de quem insiste em lançar a confusão neste debate, ao afirmar o contrário. Pelo que se vê, o governador do Banco de Portugal não está preocupado nem com a segurança das populações nem com os problemas ambientais que uma decisão destas acarretaria.
Para o PEV, o que é essencial, especialmente neste momento de grave crise social, repercutida no que mais pesa na bolsa dos portugueses – o preço dos combustíveis – é tomar medidas no sentido de tornar mais eficiente a actual rede de transportes de modo a criar alternativas reais ao uso do automóvel, investir na ferrovia e apostar nas energias renováveis.
É preciso clarificar de uma vez por todas a seguinte questão: a construção de uma central nuclear em Portugal não vai fazer baixar o preço dos combustíveis. Uma central nuclear terá associados gravíssimos problemas ambientais para os quais ainda não foi encontrada solução (nem mesmo na Finlândia, como quer fazer crer Vitor Constâncio), como é o caso dos resíduos radioactivos por ela produzidos e cuja perigosidade permanece por milhares de anos. Já para não falar das questões da segurança no funcionamento de uma central que os defensores desta alternativa pretendem minimizar, e dos próprios custos de construção de uma central nuclear.
Por todas estas razões, o Partido Ecologista “Os Verdes” considera que a questão nuclear deve ser definitivamente afastada.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
http://www.osverdes.pt/
Lisboa, 16 de Julho de 2008

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue