8.20.2008

RECENTES ACIDENTES NUCLEARES LEVAM “OS VERDES” A REAFIRMAR:
“NUCLEAR, NÃO OBRIGADO”


Os dois acidentes (de que há conhecimento público) ocorridos em menos de um ano em instalações nucleares tão perto do nosso país, em França e Espanha, levam o Partido Ecologista “Os Verdes” a reafirmar a sua rejeição ao nuclear e que este não pode ser encarado como uma solução para os problemas energéticos e de alterações climáticas com os quais o mundo se confronta.

O acidente ocorrido no mês de Novembro do ano passado na central nuclear de ASCÓ I, em Espanha, e só vindo a conhecimento público em Abril deste ano, assim como o acidente ocorrido no passado mês de Julho em Tricastin, França, são, não só a prova dos riscos inerentes ao nuclear, seja ele para fins energéticos ou militares, mas também demonstrativos da opacidade e da falta de democracia que envolve esta industria e que contribuem para agravar os riscos já existentes.

O Partido Ecologista “Os Verdes” considera que as tentativas e pressões existentes actualmente em Portugal do lobby nuclearista para voltar a trazer este assunto à tona de água e empurrar as opções energéticas do país por estes caminhos, devem ser combatidas por todos os que defendem um planeta seguro e um desenvolvimento sustentável e nesse sentido, “Os Verdes” anunciam desde já que marcarão presença no protesto contra a central nuclear de Almaraz, organizado pela plataforma anti-nuclear Cerrar Almaraz, que terá lugar no próximo dia 13 de Setembro.

Por último, “Os Verdes” vão exigir que o Governo português dê conhecimento à Assembleia da República sobre o nível de informação que lhe chega do Governo espanhol, relativamente a estes e outros acidentes, nas suas instalações nucleares que, pela proximidade ao nosso país, podem vir a ter consequências graves em Portugal.


O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769)
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
www.osverdes.pt

Lisboa, 20 de Agosto de 2008
REACÇÃO DE “OS VERDES” AO VETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA À LEI DO DIVÓRCIO

O Partido Ecologista “Os Verdes” vai, em futura reunião do órgão de direcção, analisar mais profundamente as razões do veto do Presidente da República ao diploma que pretende alterar o regime jurídico do divórcio.
No entanto, “Os Verdes” lamentam desde já este veto a um diploma que foi aprovado no parlamento por um significativo consenso e através do qual se pretende adequar o regime do divórcio às mutações que a nossa sociedade foi conhecendo, nomeadamente à própria concepção que os cidadãos têm, hoje em dia, do casamento.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
www.osverdes.pt

Lisboa, 20 de Agosto de 2008

“OS VERDES” QUEREM GARANTIAS DO MINISTRO DA CULTURA SOBRE SONDAGENS ARQUEOLÓGICAS NO VALE DO SABOR


O Partido Ecologista “Os Verdes” considera que a posição do Ministro da Cultura no caso das sondagens arqueológicas prévias à construção da Barragem do Sabor vai permitir clarificar os interesses que este defende; os da EDP ou os do Património Arqueológico e Cultural do País.

Para “Os Verdes”, é escandaloso e inaceitável que a tutela da cultura possa vir a dar o aval à EDP no sentido de restringir as sondagens arqueológicas no Vale do Sabor às previstas no acompanhamento da obra.
.

Para o PEV a vontade de eliminar as sondagens arqueológicas prévias à obra demonstra o receio da EDP e do Governo em encontrar património de grande valor arqueológico, o que não seria aliás nenhuma surpresa tendo em conta os vestígios patrimoniais já detectados aquando da realização do Estudo de Impacte Ambiental (EIA) e vem dar razão a todos quanto protestaram e se opuseram à construção de uma barragem no Vale do Sabor.


“Os Verdes” aguardam a clarificação da posição da tutela face às intenções da EDP e anunciam desde já que exigirão explicações em sede Parlamentar ao Ministro da Cultura caso este permita à EDP fugir à realização de sondagens arqueológicas prévias ao inicio da obra, dando assim cobertura a um acto de profundo desprezo pelo aprofundamento do conhecimento e salvaguarda do nosso património cultural.

O Partido Ecologista “Os Verdes”

O Gabinete de Imprensa de “Os Verdes”
(T: 213 919 642 - F: 213 917 424 – TM: 917 462 769 -
imprensa.verdes@pev.parlamento.pt)
www.osverdes.pt

Lisboa, 19 de Agosto de 2008

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue