1.26.2017

ESTRELA CA(N)DENTE




ESTRELA CADENTE  

Esgueirou-se, a minha musa 
Entre as colunas do templo, 
Ágil, leda, lesta, difusa
Vestal beleza sem exemplo.
Por ela guerrearam titãs;
Em sua honra nascem os dias; 
Estrelas congeminam amanhãs; 
Amor é flor nas manhãs frias.
E não obstante seja reclusa
Do ganhar prà própria vida,
É bem mais de quem com(n)templo: 
É da morte a pura recusa,
Luar que do sonho é guarida,
Luz que ao breu impõe saída! 

Joaquim Maria Castanho

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue