10.23.2011

ANTIKIPLING

Se cresceres sinuoso como entre esguias
Árvores cresce o cipó, meu filho,
Ou se engordares no charco, como lodosa planta,
Olha o azul do céu
Que o mais não tem a mínima importância.

Águia ou chacal serás. O mundo
Tudo comporta e o Sol não discrimina
Entre alcantis e pântanos.
Cometerás os pecados mais torpes
E eu te absolverei. Nada compromete
Ou dignifica a vida. A verdade e a virtude
Agonizam na mesma solidão do ataúde
Onde os vermes e os ratos
Não mais têm importância.

Estarás com Cristo, sem Cristo ou contra Cristo
E te importunarás num mundo desolado
E assaltado
Pelos lobos do bem, pelas pombas do mal,
Os cordeiros da guerra, os tigres da bonança.

Hás de amar alguém que um dia trairá
A tua confiança.
Poderás vingar-te na mulher do teu irmão,
Na tua própria irmã. Cometerás ainda
Outros incestos sem nenhuma importância.

Se fores ausente a tudo – e isto nada importa –
E for o teu Sol brilhante, logo atrás
Desse brilho acharás tua face morta
E a nada mais darás
A menor importância.

Mas se participares, sofreres, morreres
Maldizendo a vida que foi a tua única herança
E teu pai e tua mãe e o mundo que, um dia,
Te aborreceu do fórceps à última agonia
Na hora derradeira saberás ainda
Que isso tudo não teve a mínima importância.


In DOMINGOS CARVALHO DA SILVA, Poemas Escolhidos, Clube de Poesia. São Paulo, 1956

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue