1.22.2017

SAGRAÇÃO DO FRUTO




A SAGRAÇÃO DO FRUTO 
(poema dominical)


Simples e breve, flash na imensidão,
O destino descreve pra que serve
A escolha do momento na ocasião;
Então, qual ceifeiro, por paralelo, 
Colhido o fruto no pomar singelo
Ei-lo deposto em tua carinhosa mão… 

Suas linhas tornam-no doce e belo.
E minha mesa, a latitude exata 
Onde o raio de luz (ouro amarelo)
Lhe sublinha o gosto, o colorido
De um maduro "trigo" feito em pão
Suculento, e vivo que me mata
Esta fome de sonho qu'é a paixão! 

Joaquim Maria Castanho 

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue