9.01.2016

OS TRÊS POMOS SUBLIMES





OS TRÊS POMOS SUBLIMES 
(: ESTIMA, FIDELIDADE E RESPEITO)

Me enrolo nas palavras, tropeço
Nelas, exijo-lhes que «Falem!», «Digam!»
«Sejam!» imediatas, que não esqueço 
Os teus olhos nem o que eles ligam
Entrançam, Lua secreta, renovada… 
És a insubstituível luz, a fada
Da ternura, a que faz perto o distante, 
E de Atena, a eleita cintilante, 
Brisa da aurora e da madrugada, 
Meu último pensamento na jornada
E primeiro «Bom dia!» que tenho e dou.  

Se sorrio, é porque te vejo (e vi). 
Se a poesia existe, é pelo que tu és. 
Se amo a vida, e o sonho, devo-o a ti. 
Se sementes germinam, criação ousou
Então é porque és a vontade e os pés 
Com que na Terra o feminino caminhou. 

Porque em tua honra os três conceitos
Divinos são ora terrenos, e feitos
Pomos de afeto, se cruzam e descruzam
Numa trança eterna, mas celeste; 
E, mortais como eu, os respeitam 
E adoram, que se o mundo é agreste
Só eles ao sublime bem inspiram! 

Joaquim Maria Castanho

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue