5.29.2015

O QUE NÓS QUEREMOS




O QUE NÓS QUEREMOS

(…) (…) (…)

“Viver, ser ditosos, ser livres… «eis aqui o que nós queremos».

Gozar o bem-estar físico, assegurado por uma alimentação sã e abundante, boa roupa e uma habitação confortável.

Cultivar a nossa inteligência, desenvolver os nossos conhecimentos, enriquecer o nosso cérebro com novas verdades, regozijar os nossos olhos na contemplação das grandes obras da Arte e da Natureza, deliciar os nossos ouvidos com o encanto das puras harmonias, estudar com espírito independente os problemas da vida, passear livremente a nossa curiosidade através do mundo das realidades e das observações, pensar o que nos inspira a nossa razão ilustrada e confiar à nossa intrépida língua a expressão sincera do pensamento.

«Eis aqui o que nós queremos.»

E queremos também o mais breve possível um meio social favorável ao desenvolvimento integral da personalidade humana, pelo livre exercício das suas forças que em nós se agitam e das paixões que nos movem, pelo desenvolvimento moral das nossas afinidades, pela nobre irradiação das nossas simpatias.

É necessário pedir à vida todas as alegrias que ela contém.”


Excerto do Manifesto editado pela Biblioteca Luz do Povo, no início do século passado, e da autoria de SEBASTIÃO FAURE

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue