4.16.2009

Convocatória aberta para Filminho 2009


Até ao próximo dia 30 de Maio a organização do Filminho – Festa do cinema Galego e Português - começa a receber inscrições para as mostras competitivas portuguesa e galega. A inscrição é gratuita e pode ser feita através do site www.filminho.info, do e-mail info@filminho.info.
A segunda edição do Filminho terá lugar nos dias 16,17,18 e 19 de Julho em Vila Nova de Cerveira e Tominho (Galiza). As principais secções competitivas do Filminho são o Grande Prémio, atribuído ao melhor filme de produção galega e/ou portuguesa em competição no Festival e Cinema Minhoto, orientado para filmes realizados no Minho ou com referências à região.
Conforme o regulamento, a pré-selecção será realizada por um júri nomeado pela direcção do festival. Os filmes concorrentes deverão obedecer aos seguintes requisitos: as obras (de qualquer género ou duração) têm de ser concluídas após 1 de Janeiro de 2008;ser faladas, ou legendadas, dentro do sistema linguístico do galego e/ou português; estarem disponíveis para exibição em 35mm ou Vídeo (DVCAM, DV ou miniDV, apenas sistema PAL). Caso o filme seja seleccionado, o responsável será notificado
por e-mail até ao dia 21 de Junho de 2009.
As exibições vão decorrer em dois grandes espaços: no Auditório de Goián, uma sala mais tradicional, e no Auditório de Cerveira, ao ar livre. O
regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis em www.filminho.info.

Filminho 2009

Destacam-se os pontos fortes do Filminho:
1) O Audiovisual Galego e Português. A continuidade cultural, linguística e geográfica entre Portugal e a Galiza fornece aos criadores e mercados audiovisuais todo um mar de oportunidades para explorar e deve ser reflectida nas imagens cinematográficas. Nos tempos que correm, não temos dúvidas de que algo que é necessário cultural e economicamente, não deve falhar.

b) O seu carácter transfronteiriço. É fácil um Festival ser internacional porque recebe filmes de várias nacionalidades. Mas um Festival sê-lo porque decorre em dois países é algo completamente diferente. Porque se estabelece sobre a fronteira, anulando qualquer distância, juntando povos e culturas, não apenas num sentido conceptual ou discursivo, mas fisicamente, na própria realidade.

Nesta edição, o objectivo do Filminho é dar a máxima atenção a cada filme, a cada sessão, a cada convidado, a cada espectador, e a máxima visibilidade às cinematografias, aos criadores, aos produtores e, claro, aos patrocinadores. Ao nível da programação, destaca-se, para já, a retrospectiva sobre o realizador Edgar Pêra.

Histórico

“O Filminho arrisca e deseja petiscar. Nunca deixaremos de fazer um festival que arrisca. É característica do Filminho agradar a uns e não agradar a outros, pois nada de verdadeiro pode ser perfeito. O Filminho quer marcar o seu tempo, modificar as formas de olhar o Minho transfronteiriço e tudo o que o compreende”.
André Martins, director do Filminho.

“Saudamos a chegada do Filminho, que sem dúvida ajudará a aproximar e a intensificar um proveitoso ir e vir de gentes, cultura e ideias. O Filminho é o primeiro grande evento cultural que acontece, ao mesmo tempo, na Galiza e em Portugal, feito por e para galegos e portugueses”.
Sandra González, Alcaldesa do Concello de Tomiño

“O Filminho é um evento que consagra a proximidade geográfica e os numerosos vínculos entre a Galiza e Portugal como a afinidade idiomática e cultural”.
José Pedro Ribeiro, do Instituto do Cinema e Audiovisual.

“O Filminho é um projecto desenhado para potenciar o encontro e o convívio entre criadores de dois países”.
Manuel González, Axencia Audiovisual Galega.
Para mais informações:
filipa.filminho@gmail.com / comunicacao@filminho.info
96 277 82 58 / 91 093 49 84

info@filminho.info
http://www.filminho.info/
http://www.filminho.wordpress.com/
www.youtube.com/festivalfilminho
http://www.facebook.com/people/Filminho-Festa/1096671923#/profile.php?id=1096671923&v=wall&viewas=1117879170

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue