9.17.2016

AS QUATRO PENAS DE LEI




AS QUATRO PENAS DE LEI 

Tantos há contra a pura transparência 
Tornando turvas as águas da consciência 
– Sendo as verdades de tão amargo custo
Pra quem não é sério, honesto e justo… –,
Que se nos atrofia a pena da poesia
E cresce a pena do penar plo dia-a-dia. 

Mas a mim – que não sou sábio nem rico, 
Nem o douto tido por inteligente –, 
Basta-me contar a pena com que fico
Por rever nestas estrofes tanta gente! 

Joaquim Maria Castanho

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue