5.11.2006

ESTOU AQUI

Estou aqui, encaixotada nos meus ossos, na minha pele
Estou aqui, encaixotada nas minhas vísceras, na minha carne.
Estou aqui, encaixotada no meu cérebro
Encaixotada entre a fome e a vontade de não ter necessidade de comer
Encaixotada entre a obrigatoriedade de ter dinheiro
E a vontade de não ter necessidade
Entre a necessidade de ser obrigada a conversar
E a vontade de não ter que conversar
A prisão do meu corpo que me festeja e obriga a ser animal
E a prisão do meu ser que me obriga a ainda não morrer.

Contança Parelho
(Portalegre, 10 de Maio de 2006)

Sem comentários:

La vida es un tango y el que no baila es un tonto

La vida es un tango y el que no baila es un tonto
Dos calhaus da memória ao empedernido dos tempos

Onde a liquidez da água livre

Onde a liquidez da água livre
Também pode alcançar o céu

Arquivo do blogue